sábado, 22 de fevereiro de 2014

Pure Rock: As piores chamadas de música do metal



Sabe aquele seu disco do Iron Maiden ao vivo que você coloca na vitrola e sabe que vem um "Scream for me" bem forte seguido do nome da música? A chamada de uma música é tão importante quanto a própria música em si, porque ela é que dá a base da "instiga" para a estourada daquele clássico. Mas, se sempre fosse assim era tudo bom demais. Então, sem mais enrolação na chamada desse "Pure Rock", vamos repassar as piores chamadas de música da história do metal, até então, porque cada dia aparecem novas.

#1 - Blind Guardian - Journey Through the Dark (Somewhere Far Beyond, 1992)

Começando pela mola mestra de todas as chamadas de música. No seu excelente álbum ao vivo, Tokyo Tales (1995), Hansi Kursch (vocalista do Blind Guardian) conseguiu surpreender a todos - logo no início do show - com uma das piores chamadas que já escutei para uma música. A vítima? Logo uma das minhas favoritas, Journey Through the Dark.

Em tradução-livre:
"...Esta é a melhor turnê que já fizemos até agora, é inacreditável como vocês estão sendo legais com a gente e gostaríamos de agradecer por isso, muito obrigado" - até aí tudo bem, agora se preparem - "Enfim, nós viemos para cá no último domingo de avião, e viajamos à noite, então foi uma jornada pelo escuro. O que é também o nome da próxima música: 'Journey Through the Dark'"
 


#2 - Stratovarius - Father Time (Episode, 1996)
Kotipelto conseguiu se superar no quesito criatividade na chamada de Father Time no Visions of Europe (1998), ao vivo clássico do Stratovarius ainda com a sua formação original. O show é impecável, a qualidade da banda é indiscutível e as músicas estão soando melhor do que nunca. Mas, tinha que aparecer o mestre da voz aguda para introduzir um dos maiores clássicos do Stratovarius, Father Time, da melhor forma possível - como os clássicos merecem, não?

Em tradução-livre:
"...Essa próxima música fala sobre 'pai' e sobre 'tempo', então se chama 'Father Time'"
 

#3 - My Dying Bride - Your River (Turn Loose the Swans, 1993)
Essa agora vai dedicada ao grande Dalmo, que foi quem me apresentou essa pérola. O vocalista Aaron Stainthorpe não fez nada demais na chamada da música, se você ler o que foi dito, mas ele deu uma desafinada "brutal" ao dizer o nome da banda, e só por causa disso já merece entrar nas piores chamadas. Imagina o Bruce Dickinson desafinando quando fosse dizer "We're Iron Maiden", simplesmente não cabe na minha cabeça.

Em tradução-livre:
"Boa noite Eidhoven, nós somos da Inglaterra, nós somos o My Dying 'Braaaaaide'"



#4 - Iron Maiden - The Evil That Men Do (Seventh Son of a Seventh Son, 1988)

Falando em Bruce Dickinson, ele não escapou. Vamos vir com Iron Maiden em dose dupla. No Rock In Rio de 2001, Bruce Dickinson - voltando ao Iron Maiden - conseguiu superar todas as chamadas de todas as turnês do Iron Maiden. Ele tentou inovar e anunciar as músicas de um jeito bem diferente do que cada um fez. Apesar de ser o melhor show da história do Iron Maiden, o Rock In Rio (2002) possui uma das piores chamadas de música de toda a história do metal. A chamada de The Evil That Men Do não é necessariamente ruim, mas só pelo fato do Bruce ter citado Shakespeare antes dela, faremos menção. Imagine o Lemmy citando Sócrates antes de Ace of Spades, não rola, Bruce, desculpe-me, por mais que a música seja influenciada pelo cara.

Em tradução-livre:
"A bondade dos homens está enterrada com seus ossos, mas a maldade dos homens continua vivendo..."


#5 - Iron Maiden - Fear of the Dark (Fear of the Dark, 1992)

O Bruce estava realmente inspirado no Rock In Rio, logo após The Evil That Men Do ele não perdeu tempo e mandou logo outra pérola, justamente em Fear of the Dark. O grito "Fear..of..the..Daaark" que ele usava em 92 foi substituído pela pior chamada de música do Iron Maiden, resultado esse que hoje em dia a banda simplesmente começa a tocar logo a música e não espera por outra deixa dessa do Bruce. Confesso que até hoje não consegui entender o sentido dessa frase, veja por por si só.

Em tradução-livre:
"Uma luz na escuridão ou apenas medo do escuro" (se alguém tiver uma tradução alternativa para isso, segue a frase original: "A light in the black, or just Fear of the Dark", postem nos comentários)


#Menção honrosa
Não poderia deixar passar em branco o autointitulado "porta-voz do Metal brasileiro". Como não dava para resumir tudo em uma única música, fica aqui a menção honrosa para todas as chamadas de música do Thiago Bianchi.

Um comentário:

  1. Bicho essa do Blind foi muito engraçada, eu ri demais quando escutei na primeira vez. kkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir