quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

A Letra: Life on Mars? (David Bowie)

David Bowie, sem o seu estilo "camaleão", famoso nos anos 70.

Pela primeira vez a nossa coluna "A Letra" não terá participação de ninguém, mas por um motivo. Vamos analisar hoje a letra de Life on Mars?, grande música de David Bowie.

A primeira pergunta que vocês podem fazer é: "por que essa análise não tem participação?". É simples, pela própria letra da música. 

Falando de David Bowie e suas temáticas espaciais, todos pensam que somente alienígenas e naves intergaláticas são os temas das músicas, e olhando para o nome "Life on Mars" todos podem pensar isso também, mas é aí que todos se enganam.

Apesar de escrita nos anos 70, essa letra ainda é bem atual, basta nós fazermos a conversão para os tempos atuais. Tudo que acontece no mundo é tão estranho que o próprio David Bowie se perguntou se ele estava vivendo em Marte.

Eu sempre vi essa letra por dois lados: um é quando ele se pergunta se nós estamos vivendo em Marte porque todos estão loucos. E o outro lado é que com toda a loucura do mundo, só nos resta ir morar em Marte para não sermos infectados pela sociedade. 

A letra em si já é bastante solitária, porque somente quem canta vê o mundo dessa forma, mas à medida que outras pessoas lêem a letra, elas também podem ver se tem vida em Marte, então o solitário agora está acompanhado.

Toda a letra é auto-explicativa, tenho certeza que assim que você, web-leitor, ler a letra, montará a sua própria versão de Life on Mars?. Então, sem prolongar muito essa pequena análise, fiquem com a letra traduzida pelo Terra de Life on Mars?:




Vida em Marte?

É um pequeno romance terrível
Para a garota com o cabelo castanho claro
Mas a mãe dela está gritando "não"
E o pai dela a mandou ir
Mas o amigo dela não está em lugar algum
Agora ela anda através do seu sonho submerso
Para o assento com a melhor vista
E ela está vidrada na tela prateada
Mas o filme é tristemente chato
Pois ela o viveu dez vezes ou mais
Ela poderia cuspir nos olhos dos tolos
Quando eles pedissem para ela se concentrar nos

Marinheiros brigando no salão de dança
Caramba!
Olhe aqueles homens das cavernas irem
É o show de horrores
Dê uma olhada no Homem da lei
Espancando o cara errado
Caramba!
Imagino se algum dia ele vai saber
Que ele está no show que mais vende
Existe vida em Marte?

Está na testa torturada da América
Que o Mickey Mouse virou uma vaca
Agora os trabalhadores entraram em greve por fama
Porque Lenin esta à venda de novo
Veja os ratos em suas milhões de hordas
De Ibiza até Norfolk Broads
Rule Britania está fora de alcance
Para a minha mãe, meu cachorro e palhaços
Mas o filme é tristemente chato
Porque eu o escrevi dez vezes ou mais
Está prestes a ser escrito de novo
Enquanto eu peço que você se concentre nos

Essa foi Life on Mars? Até o nosso próximo "A Letra".

6 comentários:

  1. Tradução péssima, por sinal.

    ResponderExcluir
  2. Eu acho tradução uma porcaria, eu só coloco a letra traduzida porque nem todo mundo domina o inglês, mas, realmente, sempre que puder evitar traduções, evite!!

    ResponderExcluir
  3. Marco Aurelio Martins27 de maio de 2014 21:05

    Sei que o meu comentário é super atrasado, mas Lenin?. Na letra ele cita Lennon, John Lennon.

    ResponderExcluir
  4. David não perguntas se estamos vivendo em Marte, ele pergunta se há vida em Marte. Isso aqui não parece algo sério

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ideia dessa coluna é fazer uma interpretação da letra, escrevi isso há muito tempo, hoje teria atualizado a postagem. Se quiser, pode postar aqui sua ideia do que trata a letra.

      Excluir
  5. O proprio Bowie definiu assim a letra: "Uma sensitiva reação de uma jovem garota diante da mídia". Anos depois, em 1997, ele adicionou: "Acho que ela se encontra decepcionada com a realidade ... que, apesar de viver no marasmo da realidade, dizem a ela que há uma vida muito melhor em algum lugar. Ela está desapontada com o fato de não ter acesso a esse lugar."
    Tirado da wikipedia.

    A musica começa com uma discussão domestica, a mae proibindo a garota de ir sozinha ao cinema numa atitude protetora, mas o pai diz que ela vá, então ela senta muito atenta num lugar bem escolhido e aquele filme que prometia ser uma fuga de uma realidade prosaica revela-se como algo banal. Ha aqui uma relação entre assistir a um filme num cinema ( atividade coletiva) e de alguém que assiste a vida com distanciamento, isolado. Desapontada ela fica se perguntando se talvez em marte haveria um tipo de vida que corresponda aos seus anseios, ja que na terra tudo lhe parece chato e tolo (she could spit in the eyes of fools) a própria pergunta se ha " vida em marte" é irônica, não deve ser tomada literalmente. Ela não quer realmente saber se há ou não vida em marte, é um comentário sobre a vida, nossa vida.

    ResponderExcluir